Por que empresas com propósito tendem a produzir conteúdos mais relevantes e atraentes?

14 de fevereiro de 2018 | content marketing, conteúdo

Propósito

É um livro de marketing, mas poderia ser um livro sobre relacionamentos. Não há nenhuma carga pejorativa na afirmação acima. Mesmo como um livro de relacionamento passaria bem longe do estilo autoajuda. “Propósito – Por que ele engaja colaboradores, constrói marcas fortes e empresas poderosas”, de Joey Reiman, a leitura profissional que iniciei em 2018 e concluí no Carnaval, merece atenção especial de quem trabalha com comunicação. Eu já vinha desconfiando disso, mas a conclusão da leitura trouxe uma certeza: empresas com propósito claro e bem definido tendem a produzir conteúdos mais relevantes e atraentes, que é o que nos interessa fundamentalmente aqui na Cabrun!.

Dois trechos trouxeram a prova cabal:

(…) Até pouco tempo atrás as marcas eram criadas por agência de publicidade para o Homo consumens – aquele que quer mais, que usa mais. Mas as organizações e as pessoas que elas atendem, têm feito mais perguntas e não somente as do tipo “quanto é”, a pergunta “por que devo comprar de você?” tem sido feita, e as pessoas estão tomando posições. Por isso as marcas introduziram um algo a mais – propósito autêntico (…).

(…) Ações substituem anúncios, estimulando relacionamentos entre doadores e receptores no lugar de vendedores e compradores. As melhores marcas, aquelas que têm propósito, não compram mais espaço publicitário, pois criaram comunidades digitais (…). página 34

Propósito e conteúdo
Esse ponto e toda a leitura do livro me fizeram refletir ainda mais sobre questões que me são trazidas quase diariamente por clientes e prospects, tentando estabelecer relações mais transparentes e efetivas com os consumidores e potenciais consumidores de seus produtos e serviços. Isso ás vezes leva a momentos de desconforto ao perceber que antes da comunicação, há um problema maior de estruturação da dinâmica dos negócios que precisa ser resolvido.

O conteúdo é um caminho excelente para consolidar o propósito de uma organização. A questão é que tudo funciona melhor se o conteúdo reflete exatamente a prática ou está bem próximo dela. Esse é um dos principais motivos pelos quais alguns projetos editoriais deslancham com facilidade e logo observamos o fit com o público-alvo e outros demoram a engrenar. Às vezes há muitos ajustes de rota a serem feitos do ponto de vista dos negócios e o conteúdo vai acompanhando o processo.

Leitura fundamental
“Propósito” é uma leitura fundamental, em primeiro lugar, porque esclarece o termo que se banalizou e virou modismo: “na intersecção de seus talentos únicos com a necessidades do mundo encontra-se a sua vocação”. Claro que não é fácil chegar nessa proposição autêntica e quase mágica, mas no livro, Reiman compartilha um pouco de sua experiência profissional, sobretudo à frente de sua agência, a BrightHouse, uma das pioneiras no trabalho desse conceito.

Além de generosamente compartilhar os aspectos principais de sua metodologia, Reiman dá voz aos profissionais da agência para trazer insights sobre pontos específicos (por exemplo, como redigir uma boa frase de propósito) e traz histórias deliciosas de empresas e conversas com executivos contadas de forma muito clara e fluida.
Vale a pena a leitura para pensar no propósito da própria empresa, da empresa onde trabalha e das infinitas com as quais nos relacionamos o tempo todo.

Referência:
Reiman, Joey. “Propósito: por que ele engaja colaboradores, constrói marcas fortes e empresas poderosas”/ [tradução Marcela Andrade]. –São Paulo: HSM Editora, 2013.