O content marketing no Brasil

1 de janeiro de 2014 | content marketing, Sem categoria

bandeira-brasil

Faz tempo queria escrever um post de impressões do que venho aprendendo sobre contente marketing há mais de três anos. Agora que tenho trabalhado exclusivamente com isso, me sinto mais a vontade para dar uns pitacos e também acho legal ter alguns dados de pesquisa para compartilhar. A Tracto fez no fim do ano passado uma pesquisa, que até onde eu sei é a primeira no Brasil que reúne dados concretos do setor. Embora o foco do estudo seja o mercado B2B, acho que encontramos lá alguns indicadores que são significativos para o mercado como um todo.

Eu comecei a escrever o blog Conteúdo de Marca em março de 2012 e foi impressionante como no ano de 2013 tivemos muito mais cases nacionais para avaliar. A quantidade de conteúdo produzido por aqui já indica que é um mercado crescente, que as empresas estão prestando mais atenção no conteúdo e considerando-o uma ferramenta importante para se relacionar com seus públicos.

Claro que quantidade não quer dizer qualidade. Claro que encontrei nessa safra cases bem construídos e executados, mas muitos eram  bastante inconsistente,  o que também me leva a crer que é um mercado com um longo caminho para o amadurecimento. Tanto os profissionais de dentro das empresas precisam encontrar caminhos para explorar melhor suas histórias e traduzi-las em conteúdo que não se deixe contaminar pela linguagem corporativa pouco atraente para os públicos externos. Quanto às agências, precisam se especializar mais.

Quando fui para os congressos de Washington (Custom Content Conference)  e Londres (CMA International Content Summit), percebi que o trabalho de conteúdo na América do Norte e na Europa é feito por agências de conteúdo, em sua maior parte lideradas por jornalistas, que não anulam o trabalho das agências de publicidade tradicionais. Pelo contrário, se complementam e estão sempre afinadas nas mensagens. Aqui temos muita agência de publicidade tratando conteúdo da mesma forma que trata mídia de massa, focando em abrangência e alcance. Para o content marketing funcionar melhor por aqui, acho que ou as agências grandes terão que investir em profissionais especializados em conteúdo e mantê-lo dentro de suas estruturas ou terão que estabelecer parcerias com boas agências de conteúdo.

Vamos à pesquisa

A pesquisa que a Tracto conduziu no Brasil foi feita com metodologia semelhante à que o Content Marketing Institute faz na America do Norte. Foram enviados questionários por e-mail a 1201 profissionais de comunicação e marketing no País e os dados estão baseados nas respostas de 523 deles. Vamos ás principais conclusões:

83% dos profissionais de marketing B2B geram conteúdo

 

Em uma escala de 1 (nada eficaz) a 5 (muito eficaz), apenas 19% deram nota máxima para a eficiência do uso do conteúdo

 

67% das empresas mantêm alguém responsável por supervisionar as estratégias de content marketing

 

75% dos profissionais de marketing B2B estão produzindo conteúdo há mais de um ano

 

Profissionais de marketing B2B usam, em média, 13 táticas de content marketing

 

Vídeo, redes sociais e eventos são considerados as estratégias mais eficazes

 

Entre as redes sociais, o Facebook é a rede mais usada.

 

Você pode fazer download do estudo completo no site da Tracto.